Viver da providência

Posted By: admin on Nov 08, 2011 in Formação
L--RIOS

Comecemos com o Salmo 127:

“Se o SENHOR não edificar a casa, em vão trabalham os construtores.  Se o SENHOR não guardar a cidade, em vão vigiam as sentinelas.” (Sl 127, 1)

Chega de trabalhar inutilmente! Entremos no sistema de Deus! Ele é o Senhor! E, por ser Ele o Senhor;o objectivo da nossa vida é vivermos voltados para Ele. Ele é o construtor. Claro, Deus quer a nossa participação e não a despreza. Ele é tão bom, que faz o êxito depender do nosso empenho, do nosso trabalho, mas, na verdade quem faz é ELe.

Chegamos até a pensar que tudo está a dar certo por nossa causa, pelo nosso trabalho, pela nossa capacidade, quando, na verdade, Deus é o construtor de tudo.

Se o Senhor não for o construtor da casa, os seus construtores, os seus pedreiros, os seus mestres de obras, nós trabalharemos em vão.  Se o Senhor não guarda a cidade, se Ele não é o centro e não está em primeiro lugar… nada acontece!

A verdade é esta: se o Senhor não guardar o seu casamento… Se Ele não for o primeiro entre vocês, em tudo: na educação dos filhos, no orçamento familiar, na vida conjugal…

Deus precisa de ser o primeiro! Este é o sistema de Deus! O mundo enganou-nos e entramos directamente no seu sistema. A nossa própria inteligência fez com que invertêssemos a verdade e colocássemos Deus ao nosso serviço, de acordo com as nossas vontades.

É um erro pensar que Deus o castigou, só porque, até agora, não o colocou em primeiro lugar. Não foi isso: que o castigou foi o próprio sistema do mundo.

No sistema do príncipe deste mundo, há punições. No sistema do mundo, o que o diabo faz acontecer é infidelidade, adultério, prostituição, sexualidade livre e tantos outros males.

Ele quer que cada um seja feliz por si, e o outro que se “rebente”; que o marido seja feliz, e para que ele seja feliz, precisa ter uma esposa em casa, a mãe de seus filhos, a sua cozinheira, a sua cuidadora e, também, ter amantes, viver de “aventuras”…

Se ficamos no sistema do mundo, temos de suportar todas as consequências. É o sistema do mundo. Ele funciona assim. Nós infelizmente, temos seguido nesse curso. É preciso, o mais depressa possível, saltar para fora deste sistema assassino: pois ele está a matar as nossas famílias, os nossos filhos, os nossos casamentos…

Todo este plano está a acabar com a espécie humana por meio de um marketing maravilhoso que tem como slogan: Tu mereces! Este marketing ensina que deverá receber  recompensa porque fez bem feito que deveria fazer. Esse merecimento vai desde uma dose de bebida até uma noitada ou o direito de ter amantes…

Caso já tenha entrado pelo caminho errado, salte imediatamente para fora deste sistema.  Porquê? Porque, se Deus não for o primeiro da sua casa, do seu casamento, da sua família, nada vai sobreviver! É uma questão de sobrar! É preciso que Deus seja o primeiro na sua família! Que seja o centro dela! Isto é conversão: entrarmos no caminho certo, no qual Deus seja o primeiro de nossa vida e de tudo o que a envolve.

O primeiro no seu trabalho precisa ser Deus. Você trabalha por causa d’Ele e não pelo dinheiro, promoções, pelo seu patrão ou pelos seus colegas. Trabalha porque assim Deus fala a respeito da lei do trabalho: “Comerás o pão com o suor do teu rosto” (Gn 3, 19a)

É preciso mudar! Aí está o segredo da transformação da nossa situação  económica. Até hoje estávamos ainda no outro sistema, ou pior, a tentar misturar os dois sistemas, o que não é possível! Porque, se o Senhor, e somente Ele, não guardar a cidade, a sua família, o seu casamento, o seu trabalho, a sua firma, em vão vigiam as sentinelas.

Se Deus não guardar os nossos filhos, se não for o primeiro nas nossas vidas de pai e de mãe, em vão tentaremos guardá-los. estaremos a perder, pois o mundo segue o seu próprio sistema, com as suas causas e consequências, e envolve-nos. Ele é inclemente com os nossos filhos. Não será a nossa honra que vai protegê-los; não serão as nossas palavras que vão assegurá-los: será a nossa vida colocada a serviço de Deus e do seu reino.

Aqueles que estão no sistema do mundo são extorquidos até à última consequência; são cobrados por tudo até ao fim. Os nossos filhos não serão guardados se o Senhor não os guardar. Portanto, atenção: o maior investimento que lhes deve ser dado não são o colégio, roupas, poupança e sim Deus vivo. E só conseguimos transmitir um Deus vivo quando O vivenciamos.

Veja como continua o Salmo:

“De nada vos serve levantar muito cedo e trabalhar pela noite dentro, para comer o pão de tanta fadiga, pois, até durante o sono, Ele o dá aos seus amigos.” Sl 27, 2

As três coisas de nada adiantam: de nada serve levantar-se cedo, retardar o descanso até altas horas da noite comer o pão das labutas. Porquê? Porque, ao amigo que dorme, Deus dará da mesma forma. Nada depende da nossa labuta, mas da nossa amizade e intimidade com Deus.

Na prática, Deus aponta-nos no Evangelho de S. Mateus:

“Procurai primeiro o Reino de Deus e a sua justiça, e tudo o mais se vos dará por acréscimo. “ Mat. 6, 33

Se busca Deus em primeiro lugar, se busca a implantação do Seu reino como o primeiro investimento da sua vida, “tudo o mais” lhe será dado por acréscimo.

Mas em que é que consiste tudo isto? Observe os versículos anteriores:

“«Por isso vos digo: Não vos inquieteis quanto à vossa vida, com o que haveis de comer ou beber, nem quanto ao vosso corpo, com o que haveis de vestir. Porventura não é a vida mais do que o alimento, e o corpo mais do que o vestido?”  Mt. 6, 25

Jesus fala-nos de coisas concretas: vida, saúde, comida, roupa, presente e futuro.

Se Deus nos deu a vida, que é o maior dom que recebemos, não vai dar o alimento para sustentá-la? Não vai dar a roupa para nos vestirmos? É claro que sim! É o que o Senhor nos diz:

“Olhai as aves do céu: não semeiam nem ceifam nem recolhem em celeiros; e o vosso Pai celeste alimenta-as. Não valeis vós mais do que elas? “ Mt 6, 26

Se Deus cuida dos passarinhos, lhes dá alimento, ninho, filhotes, Ele não vai cuidar de nós? Somos muito mais do que passarinhos! E porque é que eles têm tudo isto? Porque os passarinhos seguem o sistema de Deus!

É verdade: confiar unicamente em Deus e na sua providência pode causar-nos insegurança, pois no sistema do mundo aprendemos a confiar em dinheiro, trabalho, poupança, seguro, plano de saúde. Veja o que a palavra nos diz:

“Qual de vós, por mais que se preocupe, pode acrescentar um só côvado à duração de sua vida?
Porque vos preocupais com o vestuário? Olhai como crescem os lírios do campo: não trabalham nem fiam! Pois Eu vos digo: Nem Salomão, em toda a sua magnificência, se vestiu como qualquer deles. Ora, se Deus veste assim a erva do campo, que hoje existe e amanhã será lançada ao fogo, como não fará muito mais por vós, homens de pouca fé?” Mat. 6, 27-30

Porque é que os lírios do campo têm tudo? Porque eles seguem o sistema de Deus! Se Deus cuida das flores, que um dia secarão e morrerão, quanto mais de nós, que somos filhos. O que precisamos fazer é sair o mais depressa possível do sistema do mundo e mergulhar no sistema de Deus que é a providência divina. É preciso fazer a experiência!

É Deus quem providência! É o Senhor quem constrói a casa, quem guarda a cidade. Nós estamos aqui somente para colaborar, fazendo a parte que nos cabe. Os passarinhos têm de buscar o alimento todos os dias. A planta também trabalha sugando da terra o alimento que precisa. Deus nos deu uma lei: “Comerás o pão com o suor do teu rosto” Gn 3, 19a

Por isso temos de trabalhar! Essa é a parte que nos cabe! Porém, o segredo não é entender que o resultado não está no nosso trabalho (e aí está a mentira que o príncipe deste mundo nos ensinou). O resultado está em Deus que é nosso Pai. Nós fazemos a nossa parte; quem constrói, quem guarda e conduz é Ele.

Esta passagem termina assim:

“Não vos preocupeis, dizendo: ‘Que comeremos, que beberemos, ou que vestiremos?’ Os pagãos, esses sim, afadigam-se com tais coisas; porém, o vosso Pai celeste bem sabe que tendes necessidade de tudo isso. Procurai primeiro o Reino de Deus e a sua justiça, e tudo o mais se vos dará por acréscimo. Não vos preocupeis, portanto, com o dia de amanhã, pois o dia de amanhã já terá as suas preocupações. Basta a cada dia o seu problema.»” Mt 6, 31-34

Monsenhor Jonas Abib

Fundador da Comunidade canção Nova

Excerto retirado do Livro “Considerai como crescem os lírios. A providência divina”

leave a comment