“Orai, orai muito”

Posted By: admin on Jun 22, 2011 in Formação
anjo de portugal

O singular e maravilhoso encontro com Nossa Senhora do Rosário, não foi a primeira visita que os três pastorinhos receberam do Céu.

A fim de prepará-los para aceitar e divulgar a Mensagem de Fátima, a Providência Divina lhes enviara no ano anterior o Anjo de Portugal, para manifestar os desígnios de misericórdia de Jesus e Maria sobre eles.

O Anjo de Portugal é, até hoje, o único Anjo da Guarda de um país com culto público oficializado e foi o único Anjo da Guarda de uma nação que apareceu aos homens.

Somos assim um País privilegiado que muitas vezes se esquece que é um cantinho abençoado por Deus e que sempre foi chamado de Terra De Santa Maria.

Santo Agostinho diz a respeito dos Anjos, que “Angelus officii nomen est, non naturae. Quaeris nomen huius naturae, spiritus est; quaeris officium, angelus est; quaeris officium, angelus est, ex eo quod est, spiritus est, ex eo quod agit, angelus”, ou seja ,“Anjo (mensageiro) é uma designação de encargo, não de natureza. Se perguntares pela designação da natureza, é um espírito; se perguntares pelo encargo, é um anjo: é espírito por aquilo que é, é anjo por aquilo que faz”.

Se “é anjo por aquilo que faz”, é bom reflectirmos até onde eu tenho sido o “anjo” na vida do meu próximo?

Tantas vezes nos lamentamos pelas dificuldades da vida, pela crise, pelo desemprego e por doenças e males que tantas vezes procuramos culpar o outro, mas esquecemo-nos do anjo que podemos ser.

Os Anjos são “poderosos executores de sua palavra, obedientes ao som de sua palavra” (Sl 103,20), mas a cada um de nós tantas vezes é difícil escutar a sua voz e mais ainda por em prática na nossa vida. É mais fácil lamentar-nos.

Este ano, somos convidados pelo Santuário de Fátima, como peregrinos a recordar o papel e a presença do Anjo, na Mensagem de Fátima, e ao fazer memória estaremos a conhecer o lindo exemplo que nos foi deixado pelo Anjo, bastando para isso apenas escutarmos com o coração a linda oração que nos ensinou: “Santíssima Trindade, Pai, Filho, Espírito Santo, adoro-Vos profundamente e ofereço-Vos o preciosíssimo Corpo, Sangue, Alma e Divindade de Jesus Cristo, presente em todos os sacrários da terra, em reparação dos ultrajes, sacrilégios e indiferenças com que Ele mesmo é ofendido. E, pelos méritos infinitos do Seu Santíssimo Coração e do Coração Imaculado de Maria, peço-Vos a conversão dos pobres pecadores”.

Por fim, recordo que na segunda aparição do Anjo, a Irmã Lúcia, na II Memória, 1937, conta-nos que o Anjo lhes dizia: “ De tudo o que puderdes, oferecei a Deus sacrifício em acto de reparação pelos pecados com que Ele é ofendido e súplica pela conversão dos pecadores. Atraí, assim, sobre a vossa Pátria, a paz. Eu sou o Anjo da sua guarda, o Anjo de Portugal. Sobretudo, aceitai e suportai, com submissão, os sofrimentos que o Senhor vos enviar.”

Sejamos assim, anjos na vida do nosso próximo, e acima de tudo nunca esqueçais em cada dificuldade, o desafio claro deixado pelo Anjo de Portugal: “Orai, orai muito.”

Sandra Dias

Missionária da Comunidade Canção Nova, Portugal

leave a comment