O milagre de hoje

Posted By: admin on Jan 12, 2012 in Formação
milagre

Sabe quando nos deparamos com uma palavra que, embora conhecida, desperta algo novo no nosso ser? Foi isto que experimentei nestes dias enquanto rezava com a passagem de João 11, que narra a Ressurreição de Lázaro. Fiquei “encantada” com o que ela me despertou. Diz a Palavra que Jesus era amigo de Lázaro e das suas irmãs Marta e Maria, mas sendo avisado da doença do seu amigo, demorou-se ainda dois dias no mesmo lugar, ao invés de ir socorrê-lo imediatamente. Compreendi neste facto, que Jesus não se deixava levar pelos sentimentos, mas tinha como meta principal fazer a vontade do Pai que, pelos vistos, naquele momento, seria que Ele continuasse a pregar o Evangelho em Jerusalém por mais dois dias.

Como a viagem até Betânia era longa, Jesus chegou à casa do amigo quatro dias depois do seu enterro. Aos olhos humanos, um quadro angustiante: Marta a chorar de um lado, Maria do outro e a casa cheia de judeus que tinham vindo apresentar condolências à família e, certamente, chorar também. Era uma situação tão crítica que diz a Palavra: “Jesus pôs-se a chorar”. Diga-se de passagem, é a única vez que a Bíblia narra o choro de Jesus.

Bom, mas aí vem o mais importante, como o próprio Jesus declarou ao saber da enfermidade do amigo: “… esta doença tem por finalidade a glória de Deus. Pois por ela será glorificado o Filho do Altíssimo” (Jo 11,4). Realmente foi o que aconteceu, pois a morte e a ressurreição de Lázaro glorificaram tanto a Deus, que despertou ainda mais a ira dos fariseus que procuravam, matar não somente Jesus, mas também Lázaro por causa do número de pessoas que, atraídos pela sua vida nova, vinham ao seu encontro e acabavam por seguir o seu Mestre e amigo. Imagine a amizade entre Jesus, Lázaro, Marta e Maria; imagine o quanto ela deve ter crescido depois deste facto! Foi, sem dúvida, um dos maiores milagres narrados na Bíblia. O facto reforça a ideia que tenho de que a amizade alicerçada em Cristo produz milagres na nossa vida.

Uno a minha reflexão à do saudoso padre Léo; ele chama-nos à atenção no seu livro “Experienciai Milagres” para percebermos e valorizarmos os milagres que acontecem todos os dias diante dos nossos olhos e que não os valorizamos ou não os percebemos. Um exemplo é o caso de estarmos vivos agora, depois de já termos superado tantas coisas desde o dia do nosso nascimento.

É realmente oportuno se perguntar: “Será que alguma coisa, só é milagre quando vem precedida de uma desgraça? Será que só valorizamos a saúde depois que aparece a doença? Se andar depois de se ter ficado paralítico é um milagre, por que não consideramos um milagre o facto de podermos andar, pular e correr todos os dias?

Parece que é até natural ao homem valorizar mais as coisas e as pessoas depois que as perde. Basta observar que os momentos de maiores elogios e boa fama são concedidos às pessoas depois da sua morte. Isto não faz sentido. “Uma simples flor dada com carinho em vida, vale mais que grandes coroas de flores enviadas durante o funeral”.

A reflexão a respeito da vida nova que o Senhor concedeu a Lázaro faz-me valorizar mais os meus amigos e os milagres do hoje. Faz-me também lembrar que o tempo de Deus é diferente do meu e que, portanto, preciso estar atenta à sua vontade que não pode ser confundida com os meus sentimentos.

Hoje, quero dar o devido valor ao milagre que é a minha vida, a saúde, o trabalho e as pessoas que de alguma forma ajudam-me a ser quem sou.

Se quiser faça o mesmo. Não espere acontecer uma tragédia para perceber o milagre que está ao seu lado! Valorize cada acção, cada facto, cada pessoa e cada acontecimento da sua história. Valorize a sua vida, porque ela é o maior milagre de Deus! E como Jesus disse a Lázaro, ouso dizer a si hoje, em nome de Jesus: “…Vem para fora!”. E feliz vida nova!

Dijanira Silva

Missionária da Comunidade Canção Nova em Portugal

leave a comment