Jejum e Penitência

Posted By: admin on Fev 29, 2012 in Formação
mudan--a

Que a graça de Deus nos acompanhe nesta quaresma, e nos fortaleça.

Neste texto gostaria de abordar duas realidades que vivemos na quaresma: uma o jejum, e a outra a penitência.

A penitência, no sentido evangélico significa sobretudo conversão. A finalidade dos actos de penitência é mais profundo, é o voltarmo-nos para o próprio Deus, para podermos nos encontrar com Ele no íntimo do nosso ser, no segredo do nosso coração.

O Beato João Paulo II, numa das catequeses para a quaresma, em que nos fala da penitência, diz-nos que “o primeiro e principal significado da penitência é interior, espiritual. O principal esforço da penitência consiste «em entrar em si mesmo», no mais profundo do próprio ser, entrar nesta dimensão da própria humanidade em que, em certo sentido, nos espera Deus. O homem «exterior» deve — diria — ceder, em cada um de nós, ao homem «interior» e em certo sentido, «deixar-lhe o lugar». Na vida corrente, o homem não vive bastante «interiormente». Jesus Cristo indica de modo claro que também os actos de devoção e de penitência (como o jejum, a esmola e a oração), que pela sua finalidade religiosa são principalmente «interiores», podem ceder ao «exteriorismo» corrente, e portanto podem ser falsificados. Pelo contrário, a penitência, como conversão a Deus, requer sobretudo que o homem rejeite as aparências, saiba libertar-se da falsidade e reencontrar-se em toda a sua verdade interior. Mesmo um olhar rápido e sumário, sobre o divino fulgor da verdade interior do homem é já um bom êxito. É necessário, porém, consolidar este bom êxito mediante um trabalho sistemático sobre nós mesmos. Este trabalho é chamado «ascese» (assim já o haviam denominado os Gregos dos tempos das origens do cristianismo). Ascese quer dizer esforço interior para não nos deixarmos raptar nem impelir pelas diversas correntes «exteriores», de modo a mantermo-nos sempre nós mesmos e a conservarmos a dignidade da própria humanidade. “

Somos convidados a olhar para o nosso interior e avaliar como é que ele está, cabe a cada um dar uma resposta concreta nesta quaresma, desejar ser um homem ou mulher novo(a).

A outra realidade é a do jejum, e aqui podemos acrescentar a oração e a esmola que estão interligadas.

O jejum ajuda-nos na luta contra o pecado, despertando-nos para fazer a vontade do Pai. Num tempo em que o jejum, a oração e a esmola perderam o seu valor, onde se dá mais importância aos valores materiais e de uma busca constante de corpo prefeito, é necessário retomar estes valores primordiais para uma melhor vivência da Quaresma.

O Papa Bento XVI, numa frase da-nos a conhecer o verdadeiro valor do jejum: “A prática fiel do jejum contribui ainda para conferir unidade à pessoa, corpo e alma, ajudando-a a evitar o pecado e a crescer na intimidade com o Senhor”

Que cada um seja fiel na vivência dos seus propósitos para esta quaresma e que possa contribuir para o fortalecimento da igreja, assim é o desejo daquele que vos ama e unido em oração a cada um de vós.

Despeço -me com o desejo de uma santa quaresma para todos ,

Joaquim Dias

Missionário da Comunidade Canção Nova em Portugal

leave a comment