A ambição é consequencia do pecado

Posted By: admin on Jul 31, 2012 in Formação
especial1

Lendo a palavra em Mc 10, 35-45 percebemos que os filhos de Zebedeu, Tiago e João tinham uma vontade muito grande, vontade essa que era “chegar ao céu em dois tempos”. Então foram ter com Jesus e lhe pediram que ele concedesse esse pedido. O pedido que eles foram fazer a Jesus foi que eles tivessem um lugar à esquerda e outro à direita lá nos céus ao seu lado.

Mas Jesus respondeu: “.. sentar-vos-ei à minha direita e à minha esquerda não cabe a mim concedê-lo, mas é para quem está reservado.” e mais à frente fala de novo dizendo: “quem quiser entre vós ser grande que se faça vosso servidor, quem quiser ser o primeiro, que se faça vosso escravo.”

Meus irmãos aqui Jesus dá o ponto final da situação, inclusive aos seus discípulos, seja quem for aquele que quer dar um grande passo na vida com grandes finalidades e objetivos, deve andar um passo para trás e pensar de novo. Assim é numa comunidade cristã, a ambição deve ser substituída pelo espírito de serviço. É claro que precisamos de “mostrar serviço” seja no trabalho ou na nossa própria vida, mas que seja sempre um trabalho digno, que não seja um trabalho que para alcançar os seus objectivos, precisa primeiro de passar por cima do outro. Como diz em Ecl 9, 6-7 “nem por desordem social ” mas sim pelo exemplo de Jesus.

Jesus deu o seu corpo e o seu sangue na cruz, mas também realizou muitos milagres e curou muitos enfermos. Que também nós saibamos viver essa dignidade na vida. Que a cada dia possamos ofertar o nosso trabalho a Deus. Ninguém nos pede para sermos crucificados e açoitados. Jesus já fez isso por nós. Agora a nós só nos compete sermos verdadeiros uns com os outros. Se existe fome, guerras massacres e outros problemas sociais é devido à ambição do homem. Aquela vontade de termos poder, domínio, dinheiro, sempre o querermos mais e mais. Jesus convida-nos a carregarmos a nossa cruz pessoal. “quem quiser seguir-me negue a si mesmo, carregue a sua cruz e siga-me” Mc 8, 34.

Que a partir de hoje saibamos olhar para o nosso “eu” e façamos uma auto-reflexão para saber aquilo que podemos mudar em nós. Que nós saibamos dar valor às coisas boas que Deus nos dá. A passagem da morte para a vida eterna é só uma passagem. Não vamos levar carros, motas, aviões, barcos, casas, jóias etc. Tudo isso ficará cá. Aquilo que apenas podemos levar é o amor que Deus tem por nós. E nos lembrar-mos que aquilo que semeamos, vai ser também aquilo que colhemos (Parábola do semeador – Marcos 4). Que sejamos semeadores férteis “escutam a palavra, acolhem-na e dão frutos de trinta, sessenta ou cem” Mc 4.

Deixemos a bagagem do materialismo e busquemos uma vida plena, cheia das graças que Deus sempre nos presenteia, de uma vida com o verdadeiro sentido. Que possamos pedir ao Espírito Santo essa vida plena e em comunhão com Cristo.

Paulo Serapicos

Colaborador da Comunidade Canção Nova em Portugal

leave a comment